Sexta-feira, 27 de Maio de 2005

Sensações

aaaa.jpg


Emoções que se atropelam,


Sentimentos que se descalçam,


Para assim fugirem rápido.


Ilusões que se envergonham de aparecer.


Trocas de olhares.


Olhares que se trocam,


Olhares que procuram olhares.


Olhares que atropelam olhares.


Olhares que falam,


Olhares que calam,


Olhares vazios…


Vazios, vazios, vazios,


Vazios…


Vazios como eu.


Como tu.


Como nós.


Como eles que não são como nós,


Como eles que são como nós,


Como quem não sabe quem é.


Quem foi.


Quem será…


Quem será… quem será…


E esse vazio


Que me mata,


Destrói,


Corrói,


Desgasta,


Me torna nefasta.


Como esse vazio que é podre.


Podre, podre, podre…


Podre como eu.


Como tu.


Como nós.


Como eles que não são como nós,


Como eles que são como nós,


Como quem não sabe quem é.


Quem foi.


Quem será.


Volta.


Volta.


Volta.


Os sentimentos estão confusos.


Baralhados,


Descoordenados


Perdidos.


Perdidos de mim…


…e de ti.


Por isso já não somos nós.


Por isso somos eu e tu.

publicado por missantipatia às 20:37
link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito
|
Terça-feira, 24 de Maio de 2005

Re-Abraço

rr.jpg


 


Ela abraça-o forte… como se não o quisesse deixar fugir… Ele passeia com as mão pelo dorso dela e diz:


- Confesso que já tinha saudades…


- Hã? (interroga ela levantando a cabeça e fingindo que não ouviu)


- Já tinha saudades…


Ela sorri, abraça-o ainda mais forte e pensa: “Eu sabia!”

publicado por missantipatia às 23:58
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
|
Segunda-feira, 9 de Maio de 2005

Arco-Íris

rosa vermelha.bmp


Dei cor aos meus sentimentos:


Pintei o amor de vermelho – claro!


De azul a ilusão,


De amarelo a angústia


Que me consome o coração.


Pintei a raiva de roxo


Não me perguntem porquê!


Dei à tristeza a cor cinzenta,


Porque assim mal se vê!


Como acho o verde bonito,


Também lhe quis dar um sentimento,


De repente soltei um grito,


E atribui-lhe o tormento!


Restava-me ainda o branco,


O cor-de-rosa, o jasmim…


E o preto andava perdido,


Pois não se encaixava em mim.


Quando a chuva me tocou,


Toda a cor se misturou.


Virei uma nódoa negra,


Que o tempo desgastou.


Agora sinto-me cinzenta,


Mas de um cinzento bem escuro


Porém estendi as mãos


E vi que o vermelho continuava puro!


 


publicado por missantipatia às 22:21
link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
28

29
30
31


.posts recentes

. Diár...

. Diár...

. Ao ...

. Diá...

. Obs...

. Sil...

. Diá...

. Sen...

. Re-...

. Arc...

.arquivos

. Janeiro 2006

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Junho 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds